Postagens

Trechos de obras enfocando o lançamento "O Livro dos Espíritos" no ano de 1857 em Paris.

Imagem
Kardec a Biografia - Marcel Souto Maior
No dia 17 de abril de 1857, Zéfiro também se manifestou pelas mãos de Caroline Baudin. Desta vez, seu tom era bem mais sóbrio e comedido: — Não te deixas arrastar pelos entusiastas, nem pelos muito apressados. Mede todos os teus passos, a fim de chegares ao fim com segurança. Não creias em mais do que aquilo que vejas; não desvies a atenção de tudo o que te pareça incompreensível. A mensagem poderia ter sido assinada pelo Espírito da Verdade, inclusive pelas revelações seguintes, nada animadoras: — Mas, ah!, a verdade não será conhecida de todos, nem crida, senão daqui a muito tempo! Nessa existência não verás mais do que a aurora do êxito da tua obra. Terás que voltar, reencarnado noutro corpo, para completar o que houveres começado (...). Rivail foi em frente. Na manhã de 18 de abril de 1857, 1.500 exemplares da obra começaram a ser vendidos em Paris, com a chancela do editor Pierre-Paul Didier, por 3 francos cada um. Em dois meses — para surpresa d…

Palais Royal - Galerie d’Orléans (18 de abril de 1857)

Imagem
Foi num sábado de primavera, na Galeria d'Orleans, no Palais Royal, em Paris, a 18 de abril de 1857, que Allan Kardec publicava sua primeira obra: "O Livro dos Espíritos". Era um marco para o início de um novo momento para a evolução espiritual da humanidade.
A Galerie d'Orléans (do séc. XIX) ficavam as livrarias de Dentu (nª 13) do editor E. Dentu que publicou a primeira edição O Livro dos Espíritos e a Ledoyen (nª 31), que editaram várias das obras espíritas de Kardec. Mapa com a vista do Palais Royal em Paris O Palais Royal é importante edifício histórico situado ao lado do Louvre. Foi construído pelo Cardeal Richelieu no século XVII. Suas elegantes galerias externas, que circundam o jardim (Montpensier, de Beujolais e de Valois), foram mandadas construir por Louis-Philippe d'Orléans, na segunda metade do século seguinte.
Palais Royal no Século XIX 18 de abril de 1857 marcou o nascimento “oficial” do Espiritismo: foi apresentada aos parisienses a primeira edição de…

VIII Fórum do Livre-Pensar Espírita CEPABrasil - ​Salvador-BA - 2017

Imagem
Nos dias 26 a 28 de maio deste ano de 2017, o Teatro Espírita Leopoldo Machado - Telma realizará em sua sede, na cidade de Salvador-BA, o VIII Fórum do Livre-Pensar Espírita, evento promovido pela CEPABrasil - Associação Brasileira de Delegados e Amigos da CEPA - Associação Espírita Internacional.

A CEPA, que teve como um de seus primeiros delegados no Brasil o pesquisador Carlos Bernardo Loureiro, fundador e presidente de honra do Telma, encontra em Salvador um centro espírita com profunda identidade de pensamento.

Carlos Bernardo Loureiro Os participantes do FLPE, que virão de várias cidades, debaterão temas espíritas sob a perspectiva do pensamento laico, progressista e livre-pensador, que marca a CEPA e o Telma.
O evento também contará com palestrantes baianos consagrados, inclusive membros de diversas instituições espíritas e da Federação Espírita do Estado da Bahia (FEEB), que realizarão debates de alto nível sobre convergências e divergências no entendimento do Espiritismo e seus c…

Juventude Espírita Cearense, 69 anos se reescrevendo

Imagem
III Confraternização de Mocidades e Juventudes Espíritas do Norte e Nordeste do Brasil em 1955

Há sessenta e nove anos, movidos por vibrante idealismo, um grupo de jovens, tendo à frente o grande líder espírita José Borges dos Santos, fundava em Fortaleza, a União das Mocidades Espíritas do Ceará. Sentados ao centro José Borges ladeado a esquerda por Orlando Borges e direita Francisco Carlos de Oliveira
Era o dia 31 de março de 1948, que marcaria o início de uma jornada de lutas memoráveis na propagação da Doutrina Espírita em terras de Alencar. O calendário marcava o centenário dos famosos fenômenos de Hydesville e os setenta e nove anos de desencarne do Mestre Lionês Allan Kardec. Irmãs Fox Foi com o entusiasmo ardoroso desses moços de antanho, ao lado dos mais velhos, que se realizaram os grandes eventos da década de 50 e formariam as lideranças que construíram o movimento espírita local nas décadas seguintes.
Na metade do século vinte os espíritas eram rotulados de “loucos” e “macum…